Transmissões

Data

Interoperabilidade de Sistemas e Padrões de Comunicação em Saúde

Normal Expandido
Formato
Reportar Erro
Denunciar
Incorporar
Recomendar
Gostei
842 visualizações
Publicado em Mon Feb 09 11:02:18 BRST 2015
Responsáveis:  Jose Marcos Alves

O Prof.Dr. Paulo Mazzoncini de Azevedo Marques, da FMRP-USP foi o palestrante em 2/12/14 da disciplina de pós-graduação SRB5009 – Tópicos em Bioengenharia do Programa de Pós-Graduação Interunidades – USP. Ele aborda um conjunto de padrões de comunicação voltados para a interoperabilidade de sistemas de informação em saúde, mostrando sua aplicabilidade no contexto do modelo de troca de informação proposto pelo Ministério da Saúde para o Sistema Único de Saúde (SUS). A

O termo e‐Saúde, também conhecido por seu equivalente em inglês, e‐Health, refere-se a qualquer aplicação de internet utilizada em conjunto com outras tecnologias de informação, focada na melhoraria do acesso, da eficiência, da efetividade e da qualidade dos processos clínicos e assistenciais necessários a toda a cadeia de atendimento à saúde. O objetivo único é prover melhores condições de tratamento aos pacientes e melhores condições de custeio ao sistema de saúde.

O conceito engloba desde a entrega de informações clínicas aos parceiros da cadeia de atendimento, passando pelas facilidades de interação entre todos os seus membros, chegando à disponibilização dessa mesma informação nos mais difíceis e remotos lugares. Para que o conceito de e-Saúde possa ser implementado no ambiente real de atenção à saúde, é imprescindível a troca de informações referentes ao tratamento do paciente, que deve ser garantida pela capacidade de interoperabilidade entre os diversos sistemas de informação envolvidos nesse processo.

Essa interoperabilidade define-se como a habilidade de transferir e utilizar informações de maneira uniforme e eficiente entre várias organizações e sistemas de informação em dois níveis principais: interoperabilidade funcional, que é a interação de dois ou mais sistemas (equipamentos, sistemas de informação e bases de dados) para trocar informações de acordo com um conjunto de regras definidas; e interoperabilidade semântica, que se refere à capacidade de sistemas compartilharem informações compreendidas através da definição de conceitos de domínio.