Transmissões

Data
Vídeos indicados

Seminário Energia e Formação de recursos humanos: Desafios e perspectivas - manhã

26 junho 2015 9h00 às 17h00 Auditório Oswaldo Fadigas Fontes Torres da STI/USP- Av. Prof. Luciano Gualberto, Travessa 3, número 71 - Cidade Universitária SP O curso de Mestrado do Programa de Pós-graduação em Energia - PPGE da Universidade de São Paulo foi criado em 1989 e o curso de Doutorado foi criado em 1993. Os dois cursos nasceram como cursos interunidades, com a participação da EP, FEA, IEE e IF; todos da USP. Em 2012, com apoio e aprovação das demais unidades formadoras, consolidou-se o processo de mudança institucional do PPGE que passou a ser definitivamente vinculado exclusivamente ao IEE/USP. Ao longo desses 25 anos essa vinculação foi muito construtiva para o PPGE, assim como para o IEE por isso pretende-se comemorar essa data, ao longo de 2015, com a realização de algumas atividades acadêmicas. A primeira é a realização do Seminário Energia e Formação de Recursos Humanos: desafios e perspectivas, que tem por objetivo reunir representantes dos Programas de Pós-graduação em Energia do Brasil (PPE/COPPE/UFRJ, AIPSE/UNICAMP, PGENE/UFABC, MEE/UNIFEI, MRIE/UNIFACS) para fazer uma reflexão sobre a História de cada um, envolvendo estrutura curricular, áreas de concentração, linhas de pesquisa, pontos positivos e principais perspectivas futuras. Pretende-se também discutir a formação de Recursos Humanos em Energia, em relação as áreas de Tecnologias de Energia e Análise e Planejamento Energético abrangendo métodos e principais desafios.

4º Simpósio Internacional do BELIEF_part007

“O Simpósio Internacional do BELIEF é o principal meio de disseminação internacional do projeto e da e-Infraestrutura Européia. Este simpósio oferecerá visibilidade mútua para projetos da EU e atividades em regiões específicas, conectando essa infraestrutura às comunidades de usuários que se beneficiarão com a adoção dessas tecnologias. Este evento irá facilitar a entrada de usuários Latino Americanos em uma comunidade virtual de pesquisa global possibilitada pela infraestrutura eletrônica Européia". Informática e tecnologia computacional entraram mundialmente em uma nova fase de desenvolvimento sustentável. Entretanto, em muitas regiões, como a América Latina por exemplo, um número muito grande de empecilhos tais como: problemas na transferência de tecnologias da comunidade acadêmica para a industria e mercado, baixo número de patentes comparados à contribuição da produção científica, grandes distâncias geográficas e locais de difícil acesso em periferias das grandes cidades, têm dificultado esse esforço. A América Latina tem uma concentração única de culturas e políticas, bem como uma diversidade climática e biológica que envolve vários desafios quando se considera a integração tecnológica. Percebe-se claramente que para alcançar um desenvolvimento sustentável em meio a esse contexto, todas essas diversidades devem ser respeitadas, e novos meios de integração devem ser encontrados. A aplicação da e-Infraestrutura parece ser uma resposta para diversas dessas dificuldades, oferecendo a possibilidade de desenvolver e compartilhar novos conhecimentos, enquanto oferece suporte com poder massivo de processamento em paralelo para um número extremamente grande de casos, resultados experimentais, etc. Seguindo essa proposta, um número considerável de e-Infraestruturas já estão instaladas na América Latina como, por exemplo, a rede de pesquisa e educacional RedCLARA e suas conexões intercontinentais com a América do Norte e Europa. O simpósio internacional do BELIEF sediado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo no Brasil, e apoiado pelos consórcios GLOBAL e GridTalk, irá abordar a aplicação da e-infraestrutura para o desenvolvimento sustentável. A reunião será centrada não apenas na expansão da e-infraestrutura em termos geográficos, mas também no seu uso que poderá oferecer soluções sustentáveis para muitos dos problemas de desenvolvimento encontrados por economias emergentes. O simpósio irá começar com uma sessão plenária de abertura seguida de três sessões paralelas que terão seus focos em problemas relativos a áreas específicas: Saúde (e-Health), Ciências Sociais e da Terra (e-Science) e Educação (e-Education). Nas sessões finais serão avaliadas questões de sustentabilidade do uso da e-infraestrutura entre comunidades de pesquisa da América Latina e Europa.