Transmissões

Data
Vídeos indicados

(Sobre) vivendo sem letras

Este filme apresenta algumas das formas como se dá a revalorização dos indivíduos como pessoas e como sujeitos sociais por meio do acesso à Educação, considerada direito social básico pela Carta Maior Brasileira (artigo 6º) e também compreendido como um meio de acesso a outros direitos, como o trabalho e a liberdade. Por meio do discurso ficcional (com base em fatos reais, comuns e cotidianos) e também de entrevistas com pessoas em situação de analfabetismo funcional ou em processo de superação do mesmo, tentamos evidenciar tanto situações comuns de exclusão social provocada pela baixa escolaridade, como também a inclusão e a revalorização por meio da volta à escola, além do caráter “mudo”, “solitário” e quase “anônimo” da luta desses sujeitos sociais contra a exclusão, muitas vezes levada a cabo devido a outros fatores (imposição do mercado de trabalho ou obrigação profissional) e bem menos pelo fato puro e simples de acesso ao direito negado. Assistente de direção: Yugo Hattori - Pesquisa: Áquila de Barros Nogueira, Brunela Succi, Bruno Nardini, Dahanne Salles, Erick Miyasato, Gregório Sanches, Leonardo Félix, Márcia Lika Hattori, Thiago de Oliveira - Produção: Áquila de Barros Nogueira, Brunela Succi, Bruno Nardini, Dahanne Salles, Erick Miyasato, Gregório Sanches, Leonardo Félix, Márcia Lika Hattori, Thiago de Oliveira - Edição e finalização: Brunela Succi, Gregório Sanches, Márcia Lika Hattori, Thiago de Oliveira, Yugo Hattori - Edição do som: Brunela Succi, Gregório Sanches, Márcia Lika Hattori, Thiago de Oliveira, Yugo Hattori - Roteiro: Áquila de Barros Nogueira, Brunela Succi, Bruno Nardini, Dahanne Salles, Erick Miyasato, Gregório Sanches, Leonardo Félix, Márcia Lika Hattori, Thiago de Oliveira - Fotografia: Brunela Succi, Erick Miyasato - Série Lugares da Intolerância (LEI-USP) : Curadoria da série: Zilda Iokoi. Co-produção da série: Rodrigo Medina Zagni. Edição da série: Assad Abdala Gazal

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL: “Que tipo de ação intersetorial pode promover equidade em saúde? Questões críticas para traduzir princípios em práticas”

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL: “Que tipo de ação intersetorial pode promover equidade em saúde? Questões críticas para traduzir princípios em práticas” que será proferida por Louise Potvin da Universidade de Montreal. Data: 17 de abril de 2015, sexta-feira, 08h30min Local: FSP/USP - Auditório João Yunes, Av. Dr. Arnaldo 715 – Metro Clínicas. O Departamento de Prática de Saúde Pública (HSP), a Comissão de Pós-Graduaçao (CPG) e a Comissão de Cultura e Extensão Universitária (CCEx.), da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP convidam trabalhadores e gestores do SUS, estudantes de graduação, pós-graduandos e docentes e outros interessados para este debate relevante para a formulação das políticas públicas. A ação intersetorial é defendida como uma estratégia-chave para a promoção da equidade em saúde. Mas nem todas as ações intersetoriais são criadas de maneira uniforme. Nesta apresentação Louise vai distinguir entre dois tipos de ações intersetoriais: as que envolvem parceiros exclusivamente institucionais e aquelas que incluem parceiros que representam grupos para os quais há uma preocupação com a equidade em saúde. Vai argumentar que apenas as ações deste último tipo têm o potencial para tratar de questões de equidade. Mas essas parcerias são muitas vezes complexas e conflituosas. Com base em seu trabalho sobre a ação intersetorial em Montréal, Louise irá examinar três funções críticas que precisam ser traduzidas em práticas para que essas parcerias possam ser eficazes. O conferencista será a Profa. Louise Potvin, que completou seu doutorado em Saúde Pública pela Universidade de Montreal e pós-doutorado em avaliação de programas e abordagens comunitárias e desigualdades em saúde. Atualmente é professora do Departamento de Medicina Preventiva e Social, Université de Montreal e diretora científica do Centro de Léa-sur les Roback Inégalités Sociales de Santé de Montréal. Este Centro visa documentar como as intervenções de saúde pública em apoio ao desenvolvimento social local podem contribuir para a redução das desigualdades de saúde em ambientes urbanos. Seus principais interesses de pesquisa são a avaliação do programa de promoção da saúde e intersetorialidade. Foi membro do Grupo de Trabalho da OMS-EURO sobre a Avaliação de Promoção da Saúde. Membro do Grupo de Referência Canadense sobre os Determinantes Sociais da Saúde. Membro da União Internacional para a Promoção da Educação e da da Saúde (UIPES) e membro da Academia Canadense de Ciências da Saúde. É a Coordenadora do Comitê Científico Global da 22a Conferência Mundial de Promoção da Saúde da UIPES, que será realizada em Curitiba, em maio de 2016. Publicou cinco livros e mais de 200 artigos e capítulos de livros.