Transmissões

Data
Vídeos mais vistos

Dinossauros do Brasil: 170 milhões de anos de evolução

Os mais antigos esqueletos de dinossauros são conhecidos de rochas brasileiras com 233 milhões de anos de idade. Naquele tempo, um supercontinente agrupava todas as terras emersas hoje conhecidas e apenas dois oceanos banhavam suas praias. Mamíferos e flores ainda não existiam e nem qualquer vertebrado havia aprendido a voar. 170 milhões de anos mais tarde, após impactos de asteroides gigantes e vulcanismos que perduraram por milhões de anos, seis continentes rodeados por cinco oceanos estavam repletos com milhares de espécies de dinossauros. Eles disputavam os ares com répteis gigantes, devoravam pequenos mamíferos, se especializavam na captura de insetos que se multiplicavam em parceria com as plantas com flores. Com tamanhos que variavam desde o de uma pequena rolinha ao de causar espanto à baleia-azul, desafiaram as leis da física e da biologia. Chamada de era dos dinossauros, a Era Mesozoica foi o mais intenso momento para a geologia e biologia em toda a história da Terra. No Brasil as rochas de boa parte desse intervalo, bem como o trabalho de diversos paleontólogos, já nos deram cerca de 50 espécies de dinossauros, protagonistas de histórias que estamos começando aprender a explorar. Viva os dinossauros do Brasil. Biólogo, paleontólogo, escritor, professor do Instituto de Geociências da USP, tem cerca de 15 livros de divulgação científica publicados sobre a pré-história brasileira, em especial sobre a vida dos dinossauros. Em 2018 foi vencedor do prêmio Jabuti de literatura infanto-juvenil com o livro O Brasil dos Dinossauros. Luiz Eduardo Anelli oferece formação sobre dinossauros e a pré-história do Brasil para professoras e professores do ensino fundamental e médio. Foi curador da exposição Dinos na Oca – Parque Ibirapuera -, e é o atual curador da exposição Patagotitan – o maior do mundo, que estreia em setembro no Parque do Ibirapuera, São Paulo. Anelli é o atual diretor da Estação Ciência da USP.

» veja mais

Vídeos indicados

58º. Encontro Presencial Fórum Acidentes do Trabalho: Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho

Fórum Acidentes de Trabalho (58º. Encontro Presencial) - Tema: "Funcionalidades e uso do Observatório Digital de Saúde e Segurança no Trabalho". No dia 27 de abril de 2017, em referência ao dia mundial em memória das vitimas de acidentes de trabalho, foi tornada pública a primeira versão do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho que tem como endereço: https://observatoriosst.mpt.mp.br/ Nesta primeira versão, como pode ser extraído da página (endereço acima), a ferramenta já apresenta dados georreferenciados de frequência de casos de CATs de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, gastos previdenciários acumulados e dias de trabalho perdidos. Os dados já disponibilizados revelam que entre 2012 e 2016, os trabalhadores brasileiros perderam mais de 250 milhões de dias de trabalho devido a acidentes e doenças ocupacionais, enquanto cerca de R$ 20 bilhões foram gastos com benefícios acidentários. A ferramenta foi desenhada e vem sendo desenvolvida de forma a ser um dispositivo amigável ao usuário de modo que este possa extrair informações e fazer cruzamentos de seu interesse levando em conta localização, setor, função, sexo, idade, tipo de agravo, custo, etc. Este Encontro presencial tem como objetivo apresentar aos usuários as funcionalidades atuais e futuras da ferramenta e possibilitar que os usuários realizem extrações de informações de seu interesse, tirem dúvidas e façam sugestões para o aprimoramento das próximas etapas. Antes do Evento sugerimos que as pessoas visitem e façam uso do site de modo que já venham ao evento depois de ter respondido algumas questões e formulado sugestões conforme formulário de avaliação/sugestões sobre o observatório. Após a apresentação das funcionalidades da ferramenta haverá uma mini oficina com a finalidade de manipular informações, extrair dúvidas e indicar sugestões para melhoria. Para tanto será disponibilizado acesso à internet e é necessário que o participante traga computador de mão carregado para 02 horas. Programação: 8:30h – Abertura dos trabalhos – Prof. Rodolfo AG Vilela (FSP) e Prof. Ildeberto Muniz Almeida (Coordenação do Fórum AT) 8:45h – Objetivos do encontro e coordenação da mesa: Mario Antônio Gomes (PRT 15A Região) e Prof.a Tit. Maria Regina Alves Cardoso (FSP. USP) Palestra “Funcionalidades e Uso do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalhado” - Dr. Luis Fabiano de Assis – CAPI – MPT 9:30hs - Palestra – A atuação da OIT na disponibilização de Informações em Saúde do Trabalhador - Peter Porschen – Diretor da OIT, Brasil 9:50hs – Intervalo 10:10 - Mini OFICINA - Trabalho em grupo ou duplas para Extração de informações no site do Observatório - Grupos preenchem formulário e anotam questões / sugestões para o debate 11:00hs – Debate, Encaminhamentos