Transmissões

Data
Vídeos indicados

Best IEE parte 1

No dia 23 de outubro, o Centro Nacional de Referência em Biomassa (CENBIO) realizou a cerimônia de lançamento do primeiro ônibus brasileiro movido a etanol, vinculado ao Projeto BEST (BioEthanol for Sustainable Transport - Bioetanol para Transporte Sustentável). O projeto, que é financiado pela União Européia, tem como objetivo estimular a utilização de álcool combustível no Brasil e no mundo. O projeto é dividido em 2 etapas: Veículos Pesados – em que foram importados os ônibus a álcool Scania, de fabricação Sueca, para avaliar comparativamente seu desempenho em ônibus pertencentes à operadora Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos- EMTU; e Veículos Leves, com a utilização de veículos híbridos Prius, de fabricação da Toyota, operando com gasolina brasileira (20 a 25% de álcool). O evento foi iniciado com uma apresentação do Projeto BEST, realizada pelo professor José Roberto Moreira, presidente do Conselho Gerenciador do CENBIO (para ver a apresentação, em inglês, clique aqui.). Estiveram presentes no evento o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab; a secretária de Energia do Estado de São Paulo, Dilma Seli Pena; o secretário de Transportes do Estado de São Paulo, Alexandre Moraes; o secretário do Verde e Meio Ambiente do Município de São Paulo, Eduardo Jorge; o ex-reitor da Universidade de São Paulo (USP) e atual presidente do Conselho Consultivo do CENBIO, professor José Goldemberg; e o presidente da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), Fernando Rei; entre outros. Em seguida, houve um abastecimento simbólico do ônibus, e um test-drive com o veículo feito pela Cidade Universitária da USP, que transcorreu perfeitamente. O evento foi encerrado com uma coletiva de imprensa.

IFUSP: Curso de Verão 2013 - Efeitos da Radiação Ionizante em Dispositivos Eletrônicos

Radiação ionizante que incide em dispositivos semicondutores pode alterar suas propriedades, modificando os parâmetros elétricos que os caracterizam e, no caso de memórias ou processadores, pode modificar a informação contida nesses dispositivos. A investigação e entendimento dos efeitos da radiação em componentes eletrônicos deve contribuir de forma relevante para o desenvolvimento de tecnologia aeroespacial nacional. Para compreender os fenômenos físicos responsáveis pelas alterações nos dispositivos expostos à radiação ionizante, experimentos são realizados utilizando vários tipos de radiação, como os raios-X, raios gama, prótons, partículas alfa e íons pesados. Os efeitos da radiação ionizante sobre dispositivos eletrônicos são divididos basicamente em três categorias: "Total Ionizing Dose" (TID), uma dose cumulativa que pode alterar as características do dispositivo eletrônico; "Single Event Effect" (SEE), um efeito transitório que pode depositar carga diretamente no dispositivo e perturbar as suas propriedades e "Displacement Damage" (DD) que provoca o deslocamento dos átomos do retículo cristalino. Está sendo desenvolvida uma metodologia para testes e caracterização de dispositivos eletrônicos quando submetidos à radiação induzida por raios-X, feixes de prótons e feixes de íons pesados. Os ensaios estão sendo realizados no IFUSP (prótons e íons pesados) produzidos pelos aceleradores do tipo Pelletron de 1,7 MV e 8,0 MV do Instituto de Física da USP e também no Centro Universitário da FEI (raios-X). Os testes estão sendo realizados em dispositivos eletrônicos comerciais e também em dispositivos mais tolerantes à radiação, desenvolvidos por grupos de pesquisa brasileiros.