Transmissões

Data
Vídeos mais vistos

Vice-diretor do CeMEAI é reconhecido internacionalmente pela ICIAM

O professor José Mario Martínez Perez, do IMECC/Unicamp e vice-diretor do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) foi assim anunciado como vencedor do prêmio Su Buchin do Conselho Internacional de Matemática Industrial e Aplicada (ICIAM): “... é concedido por realizações notáveis em pesquisa - uma combinação de teoria, prática, software e aplicativos para resolver problemas de otimização em larga escala - e na promoção do desenvolvimento das comunidades de otimização e matemática aplicada na América Latina”. Tal reconhecimento é concedido a cada quatro anos a matemáticos com atuação destacada na educação, na pesquisa e na promoção do desenvolvimento de países em desenvolvimento. A cerimônia de entrega ocorrerá em agosto de 2023, em Tóquio, durante o Congresso do ICIAM. É a primeira vez que um matemático da América Latina é agraciado. O trabalho de Martínez Perez foi fundamental no crescimento da pesquisa em matemática aplicada na América Latina. Ele orientou mais de 30 alunos de mestrado e mais de 30 doutorados, mantendo conexões ao longo do tempo e promovendo colaborações que fortalecem o desenvolvimento de grupos de pesquisa em cada um desses países. Para justificar a escolha por seu nome, o comitê do ICIAM também escreveu: “... suas contribuições representam avanços notáveis para resolver problemas de otimização em larga escala por meio de algoritmos e software publicados, juntamente com um profundo envolvimento em uma ampla gama de aplicações. ” Conversamos com o vencedor do prêmio e também repercutimos essa importante conquista para a comunidade científica brasileira com o presidente Pablo Rodriguez, da Sociedade Brasileira de Matemática (SBMAC), entidade que fez a indicação, e com a officer-at-large no ICIAM, a brasileira Liliane Basso Barichello, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

» veja mais

Vídeos indicados

Seminário Terceirização - Parte 05 de 10

Objetivos: • Discutir a atual situação do processo de terceirização nas empresas brasileiras. • Analisar a terceirização sob o ponto de vista da legislação, das empresas e dos sindicatos. Conteúdo: O ambiente econômico brasileiro caracteriza-se desde os anos 90 pela maior exigência de competitividade por parte das organizações em geral, e em especial das empresas. A busca por mais eficiência e menos custos, tornou a terceirização uma alternativa bastante comum entre as empresas. Ao longo dos anos, empresas, os trabalhadores e seus representantes e mesmo o Estado experimentaram a terceirização em praticamente todos os setores. Vinculam-se à terceirização fenômenos como o crescimento do emprego no setor de serviços, redução de funcionários nas empresas primeiras, surgimento de novas práticas de contratação e de gestão da mão-de-obra, por exemplo. A experiência acumulada pelos diversos atores do mercado de trabalho brasileiro com a terceirização levanta uma série de questões. A busca por maior foco nos negócios foi realmente bem sucedida em todos os casos? De que forma a terceirização vem sendo tratada nas negociações coletivas? Em que medida a legislação trabalhista de fato regula as relações de contratações existentes? Há desrespeito aos direitos dos trabalhadores? Esse seminário abordará o processo de terceirização sob diferentes pontos de vista. Para tanto, contará com representantes do meio jurídico, do meio empresarial e do movimento sindical. Além disso, a sessão Casos IBRET trará dois casos vivenciados por empresas brasileiras no trato com a terceirização no que se refere à sua negociação ou não no âmbito coletivo. O IBRET espera que esse evento proporcione algumas conclusões e principalmente indique algumas medidas concretas e úteis para as organizações, para os trabalhadores e para o governo.