Transmissões

Data
Vídeos indicados

Nitride Semiconductors: The Silicon of the 21st century

A disponibilidade de recursos sustentáveis, a habilidade em prover energia suficiente para as necessidades futuras e o tremendo risco de mudança climática apresentam sérios desafios energéticos para o futuro. Fontes de energia sustentáveis e sistemas mais eficientes (energy-efficiency) são uns dos pilares para um futuro sustentável. Neste contexto, os semicondutores Nitreto de Galio (Nitrides semiconductors) tem propriedades excepcionais de interesse para aplicações em energia. A sua emissão de luz azul ultra-eficaz já esta revolucionando o mundo com lampadas a LED, trabalho cuja importância foi reconhecida com o Premio Nobel de Física em 2014. Além disto, a sua grande banda proibida (wide band-gap), alto campo elétrico crítico e alta mobilidade dos elétrons tornará possível sistemas eletrônicos de potência menores, mais eficientes, que operam a temperaturas mais elevadas, sem necessidade de refrigeração. Isso permitirá o desenvolvimento de carros elétricos mais eficientes, novos inversores para painéis solares e conversores para lampadas a LED. Essas propriedades podem ser exploradas de modo ótimo com a aplicação de nanotecnologia a esses componentes. Este é o principal tema desta apresentação. Ela começará apresentando o desenvolvimento de uma tecnologia de inserção de “bolhas de ar” (air-gaps) periódicas, de tamanho nanométrico, dentro do semicondutor, formando assim um meio de difração de luz extremamente eficiente. Essa tecnologia foi otimizada e aplicada a LEDs azuis, aumentando significamente a sua eficiência de extração de luz de 80% a um recorde de 94% (state-of-the-art). Em seguida será mostrada uma aplicação de nanoestruturas em high electron mobility transistors (HEMTs), o que permitiu a demonstração de micro-transistores de potência operando a 600 V com uma corrente de fuga 3 ordens de magnitude menor do que um componente planar. Em uma perspectiva futura, será discutida uma visão mais ampla sobre o papel destes semicondutores como um dos principais atores no setor de energia (energy-efficiency) no século 21.

IPV6 - A USP no lançamento mundial do IPV6

IPV6 - A USP no lançamento mundial do IPV6 Há aproximadamente 1 ano, em 8 de Junho de 2011, a Internet Society promoveu um teste global de uso do IPv6, conhecido como World IPv6 Day. Durante vinte e quatro horas, importantes players na Internet ativaram o novo protocolo em seus sítios na Web. O teste tinha como objetivo verificar que tipo de problemas aconteceriam na ativação do IPv6, e foi um completo sucesso. De forma geral, simplesmente não houve problemas. Como a maioria dos sítios Web brasileiros não teve condições do participar do World IPv6 Day, o NIC.br coordenou um novo teste. De 6 a 12 de Fevereiro de 2012 foi realizada a Semana IPv6. Durante a Semana sítios Web, provedores de acesso e de serviços Internet ativaram o IPv6 num grande teste regional e houve atividades também na Campus Party Brasil. Foram 196 websites, nove datacenters e provedores de hospedagem e 21 provedores de acesso, incluindo Globo.com, Terra, UOL, iG, Tecla, Kinghost, entre outros. Como no World IPv6 Day, o teste também mostrou-se um completo sucesso e muitos provedores decidiram manter o IPv6 ativo. Foi o caso, por exemplo, do Terra, do UOL, e da Globo (com o blog techtudo). O World IPv6 Launch (lançamento mundial do IPv6) Como continuidade do processo de disseminação do IPV6, a Internet Society coordenará, em 06 de Junho de 2012, o World IPv6 Launch, ou Lançamento Mundial do IPv6. Desta vez não será apenas um teste. O IPv6 será ativado de forma definitiva pelos participantes da iniciativa. Trata-se de tornar o IPv6 parte do processo normal de negócios. Dentre as empresas que se comprometeram estão Google, Facebook e Yahoo, provedores de acesso, como Comcast e ATT, dos Estados Unidos, Free, da França, e fabricantes de equipamentos de redes, como Cisco e D-Link. A Sociedade da Internet no Brasil (chapter brasileiro da Internet Society - ISOC) promoverá na data uma série de palestras para disseminar a importância do IPv6. Além deste evento na USP, haverá outros em Salvador, Fortaleza e Jundíai. Mais informações sobre a iniciativa e os locais das palestras podem ser obtidas em: www.worldipv6launch.org e www.isoc.org.br.