Transmissões

Data

Processamento paralelo na visão em pacientes com doença de Parkinson

Normal Expandido
Formato
Reportar Erro
Denunciar
Incorporar
Recomendar
Download
Gostei
863 visualizações
Publicado em Mon Mar 31 10:02:56 GMT-03:00 2008
Formatos:  FLV (640 X 360 px)

Título: Processamento paralelo na visão em pacientes com doença de Parkinson

Tipo: Defesa de Tese de Doutoramento em Neurociência (NeC)
Autor: Claudia Feitosa-Santana
Publicação: 31/03/2008 e Defesa 23/01/2008
Nota: Aprovado
Resumo: OBJETIVOS. Dentre os efeitos não motores da doença de Parkinson idiopática (DP), os aspectos visuais são ainda pouco conhecidos. Este estudo visou verificar os efeitos da DP nas vias magnocelular (M) e parvocelular (P) de um grupo de pacientes com DP usando testes psicofísicos preferencialmente seletivos a essas vias. O estudo também examinou possíveis diferenças entre os DP de início precoce (DPIP) e os DP de início entre 45 e 65 anos (DPI). Os testes usados foram testes psicofísicos computadorizados, construídos para ativar seletivamente essas vias: Teste do Pedestal (Pokorny & Smith, 1997; Gualtieri et al., 2006) e, Teste do Xadrez (Benoff et al., 2001; Costa & Ventura, 2005). MÉTODO. Foram avaliados 28 pacientes (média= 50 ± 9 anos; 22 homens) com tempo de doença de 2 a 25 anos (10 ± 5 anos), divididos em dois subgrupos: 19 pacientes DPIP (46 ± 6 anos; 15 homens) e 9 pacientes DPI (média= 58 ± 6 anos; 7 homens). Os pacientes foram comparados com controles pareados por idade. Critérios de inclusão para pacientes e controles: AV Snellen cc >20/30 e ausência de queixas oftalmológicas ou de doenças sistêmicas que afetem o sistema visual, de tabagismo ou etilismo. Pacientes incluídos foram os de desempenho menor ou igual a dois dos itens 18, 23, e 24 da avaliação motora da UPDRS. RESULTADOS. O Teste do Pedestal detectou diferença entre o grupo DP e grupo controle apenas na via M. O Teste do Xadrez detectou diferença entre o grupo DP e o controle para ambas as vias, M e P. Não foi encontrada nenhuma relação entre o tempo de doença ou a medicação e, o desempenho dos pacientes com DP. No geral, o desempenho do grupo DP e subgrupos foi sempre pior que os seus respectivos controles, em especial os pacientes DPI. O subgrupo de pacientes DPIP diferiu, no geral, do subgrupo controle para os estímulos preferenciais as vias M e P no Teste do Xadrez. O subgrupo de pacientes DPI não diferiu do subgrupo controle em nenhum dos testes. CONCLUSÃO. Pacientes com doença de Parkinson evidenciaram comprometimento no processamento visual das vias M e P. Ambos os testes psicofísicos usados mostraram comprometimento na resposta a estímulos que ativam preferencialmente a via M. No Teste de Xadrez, houve redução também na resposta a estímulos preferenciais à via P. O subgrupo DPIP apresentou maiores perdas que o subgrupo DPI. Esse estudo é inovador por utilizar testes de sensibilidade ao contraste espacial de luminância que ainda não foram utilizados para avaliação da DP e, também, pela avaliação comparativa do desempenho nesses testes nos subgrupos DPIP e DPI.

Revisão 2009:
Motor effects of Parkinson’s disease (PD) are well known but visual aspects are seldom studied. The aim of this study was to examine the effects of PD on the magnocellular (M) and parvocellular (P) visual pathways in a group of patients (n=28; mean= 50 ± 9 years old), using psychophysical tests designed to be selective for these pathways. This study also examined potential differences between early-onset PD patients (EOPD; n=19) and patients with PD onset between ages 45 and 65 (IPD; n=9). The M and P pathways were probed with computerized psychophysical tests: Pedestal Test (Pokorny & Smith, 1997; Gualtieri et al., 2006) and Checkerboard Test (Benoff et al., 2001; Costa & Ventura, 2005). The patients’ results were compared with age-matched controls. Results. The Pedestal Test detected a difference between the PD group and the age-matched controls only for the M-pathway stimulus. For the Checkerboard Test, the PD group differed from the controls for both the M- and P-pathway stimuli. There was no relation between the duration of disease or medication and the PD patients’ visual performance. The EOPD patients differed from controls for the M- and P-pathway stimuli in the Checkerboard Test. The IPD patients did not differ from the controls in any of the tests. Conclusion. Patients with PD showed impairment of functions probed by stimuli that activate the M or P visual pathway. Both psychophysical tests showed impairment of responses to M pathway stimuli; for the Checkerboard Test, a reduction in responses to the P-pathway stimuli was also found. The EOPD subgroup differed from the controls for both pathways in the Checkerboard Test while the IPD subgroup did not differ from the controls in any of the tests. This study reveals significant losses in visual performance in PD patients.