Transmissões

Data

A flora e a fauna no espaço ficcional de Macunaíma

Normal Expandido
Formato
Reportar Erro
Denunciar
Incorporar
Recomendar
Download
Gostei
853 visualizações
Publicado em Tue Aug 03 11:16:19 BRT 2010
Formatos:  FLV (640 X 360 px)

A flora e a fauna no espaço ficcional de Macunaíma

JACQUELINE PENJON
Profª titular da Universidade de Paris – Sorbonne Nouvelle
## Sinopse do evento:
duas conferências abordando elementos importantes do projeto literário
do escritor modernista: 1. a construção do espaço, em Macunaíma,
rompendo fronteiras regionais e nacionais; 2. como a língua portuguesa
falada no Brasil, na obra ficcional do autor. Conferências em português.

Nome da palestrante
Dra. Jacqueline Penjon: professora titular da cátedra de Língua e
Literatura Brasileira da Universidade de Paris - Nouvelle |Sorbonne

Professores responsáveis no IEB:
Dra Telê Ancona Lopez, do projeto temático FAPESP2006/ 54705-1
Estudo do processo de criação de Mário de Andrade nos manuscritos de
seu arquivo, em sua correspondência, em sua marginalia e em suas
leituras e
Dra. Flávia Toni, presidente da Comissão de Pós-Graduaçâo do Programa
de Pós-Graduação do IEB-USP em Culturas e identidades brasileiras.

Programação – data, hora, local : V. cartaz anexo
Conferências no IEB, ambas às 10 h:
3 de agosto:A flora e a fauna no espaço ficcional de Macunaíma
5 de agosto: Mário de Andrade: o português escrito e o brasileiro falado
Av. Prof. Melo Moraes, travessa 8, 140
telefones: 11 3091 1149 - 11 3091 3244
difusieb@usp.br
www.ieb.usp.br

CONFERÊNCIAS NO IEB-USP

3 de agosto – 10 h.
A flora e a fauna no espaço ficcional de Macunaíma
5 de agosto – 10 h.
Mário de Andrade: o português escrito e o brasileiro falado



Instituto de Estudos Brasileiros
Av. Prof. Mello Moraes, trav. 8, 140
Cidade Universitária, São Paulo, SP
Tel. 11 3091-3199/ 3091-1149
www.ieb.usp.br
difusieb@usp.br

Projeto temático FAPESP/IEB/FFLCH-USP
Estudo do processo de criação de Mário de Andrade nos
manuscritos de seu arquivo, em sua correspondência,
em sua marginália e em suas leituras