Transmissões

Data

SPA 2015 - Conferência de Abertura com Brad Haseman

Normal Expandido
Formato
Reportar Erro
Denunciar
Incorporar
Recomendar
Download
Gostei
319 visualizações
Publicado em Thu Nov 26 14:24:57 BRST 2015
Responsáveis:  Estevam Cabral de Siqueira
Palestrantes:  Brad Haseman

Título da conferência: A necessidade da pesquisa performativa ou "A melhor definição do amor não vale um beijo de moça namorada" (Machado de Assis)!

Ao longo dos últimos vinte anos artistas/pesquisadores das artes cênicas elaboraram os princípios e práticas de um novo paradigma de pesquisa. Conhecido por um número de termos; pesquisa performativa, pesquisa artística e prática como pesquisa, Estes pesquisadores têm modelado suas próprias estratégias de pesquisa em teatros, estúdios e espaços de ensaio. Junto com os colegas das artes criativas, pesquisadores das artes cênicas ampliaram a gramática e o vocabulário de pesquisa ao procurarem noções expandidas de epistemologia, inovações metodológicas, práticas somáticas e prioridades de pesquisa alternativas. Para tais inovadores, o impulso abastecendo este novo paradigma de investigação é a sua necessidade de gerenciar respeitosamente as contingências e incertezas da prática criativa de forma a não impedir ou tolher essa prática. A primazia da prática criativa é central.

Não é surpreendente que o significado disso não tenha sido reconhecido ou bem acolhido por todos. Pesquisadores das artes criativas frequentemente lutam por reconhecimento em ambientes de pesquisa rígidos regidos por administradores escolados nas históricas tradições das pesquisas quantitativas e qualitativas. Nessas tradições, a prática é habitualmente vista como periférica, (algo como um beijo), a ser escondido em um apêndice, bastante separado da teorização mais importante sobre essa prática (que melhor definição de "amor").

Esta apresentação fala para aqueles reguladores e críticos ao ilustrar como os princípios e procedimentos desse emergente paradigma satisfazem os cinco testes de credibilidade que definem todas as pesquisas. Ela faz isso aplicando estes testes a uma peça real e vívida de pesquisa performativa, LIFE Drama (Drama VIDA), um projeto de teatro aplicado sobre HIV e Aids que ocorreu em Papua, Nova Guiné, entre 2008 e 2015. Finalmente, a metodologia da pesquisa performativa será esclarecida usando o Drama VIDA para mostrar os hábitos da mente e pratica que os pesquisadores precisavam para gerenciar a natureza desregrada e profundamente emergente desta investigação.