Transmissões

Data
Vídeos mais vistos

2° Seminário de Direito Econômico da FDRP/USP - 10/11

2a Rodada de Debates: “Revisitando a Regulação Econômica: crimes econômicos e o Direito Societário em tempos de Lava Jato” Dr. Otavio Yazbek. Tema: “Conflitos societários e a atividade sancionadora da CVM” Doutor em Direito Econômico e bacharel em Direito pela USP. Foi Diretor de Regulação BM&F (2006 a 2008), diretor de Autorregulação da BM&FBOVESPA (2008), diretor da Comissão de Valores Mobiliários (2009 a 2013) e membro do Standing Committee on Supervisory and Regulatory Cooperation, do Financial Stability Board (2009 a 2013). Advogado em São Paulo. Dr. Mario Gomes Shapiro. Tema: “Ascensão e queda do ativismo estatal brasileiro: o que deu errado na regulação desenvolvimentista?” Pós-doutor pela New York University. Doutor e mestre em direito econômico pela USP. É professor em regime de tempo integral na Escola de Direito da Fundação Getulio Vargas e atualmente coordenador do programa de Mestrado Acadêmico em Direito e Desenvolvimento. Moderadora: Profa. Dra. Juliana Oliveira Domingues – FDRP/USP. (Professora de Graduação e Pós-Graduação da FDRP-USP com o projeto de pesquisa no mestrado em Grupos societários, concentração econômica e responsabilidade. Coordenadora da Pós-Graduação lato sensu em Direito Econômico da FDRP/USP. Advogada). Debatedor: Prof. Associado Gustavo Saad-Diniz – FDRP/USP. (Professor de Graduação e Pós-Graduação da FDRP-USP com o projeto de pesquisa no mestrado em Grupos societários, concentração econômica e responsabilidade. Bacharel e Mestre em Direito pela Unesp/Franca. Doutor em Direito Comercial pela USP. Advogado. Debatedor: Prof. Doutor Eduardo Saad-Diniz – FDRP/USP. (Professor de Graduação e de Pós-Graduação da FDRP-USP. Bacharel em Direito pela Universidade de São Paulo. Doutor em Direito pela Universidade de São Paulo (2006-2010); Doutor em Direito pela Universidade de Sevilha, Especialização em Vitimologia pela Universidade de Sevilha, Espanha. Advogado)

» veja mais

Vídeos indicados

Interoperabilidade de Sistemas e Padrões de Comunicação em Saúde

O Prof.Dr. Paulo Mazzoncini de Azevedo Marques, da FMRP-USP foi o palestrante em 2/12/14 da disciplina de pós-graduação SRB5009 – Tópicos em Bioengenharia do Programa de Pós-Graduação Interunidades – USP. Ele aborda um conjunto de padrões de comunicação voltados para a interoperabilidade de sistemas de informação em saúde, mostrando sua aplicabilidade no contexto do modelo de troca de informação proposto pelo Ministério da Saúde para o Sistema Único de Saúde (SUS). A O termo e‐Saúde, também conhecido por seu equivalente em inglês, e‐Health, refere-se a qualquer aplicação de internet utilizada em conjunto com outras tecnologias de informação, focada na melhoraria do acesso, da eficiência, da efetividade e da qualidade dos processos clínicos e assistenciais necessários a toda a cadeia de atendimento à saúde. O objetivo único é prover melhores condições de tratamento aos pacientes e melhores condições de custeio ao sistema de saúde. O conceito engloba desde a entrega de informações clínicas aos parceiros da cadeia de atendimento, passando pelas facilidades de interação entre todos os seus membros, chegando à disponibilização dessa mesma informação nos mais difíceis e remotos lugares. Para que o conceito de e-Saúde possa ser implementado no ambiente real de atenção à saúde, é imprescindível a troca de informações referentes ao tratamento do paciente, que deve ser garantida pela capacidade de interoperabilidade entre os diversos sistemas de informação envolvidos nesse processo. Essa interoperabilidade define-se como a habilidade de transferir e utilizar informações de maneira uniforme e eficiente entre várias organizações e sistemas de informação em dois níveis principais: interoperabilidade funcional, que é a interação de dois ou mais sistemas (equipamentos, sistemas de informação e bases de dados) para trocar informações de acordo com um conjunto de regras definidas; e interoperabilidade semântica, que se refere à capacidade de sistemas compartilharem informações compreendidas através da definição de conceitos de domínio.